Imprimir

Magno Malta participa da 10° edição da Marcha pela Vida contra legalização do Aborto e das Drogas

Publicado em .

O objetivo, segundo o senador Magno Malta, é chamar a atenção da população e do Supremo Tribunal Federal, onde tramitam ações a favor da legalização do aborto e da maconha. “O Brasil é majoritariamente cristão e não podemos permitir que meia dúzia de homens possam tomar decisão tão importante que vai refletir diretamente nas famílias brasileiras” disse Magno para uma grande multidão que tomou a Esplanada, em Brasília, nesta tarde de terça-feira.

O Grande Ato da Marcha é contra a Ação de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 442, que propõe a descriminalização da prática em qualquer circunstância, desde que a gestação não ultrapasse a 12ª semana. O grupo também é contrário a Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 5581 que pede a legalização do aborto nos casos em que a gestante for diagnosticada com zika. “Aborto é crime, seja como for, alertou Magno Malta.

A presidente do Movimento Nacional da Cidadania Pela Vida - Brasil sem Aborto Lenise Garcia, avalia que nos últimos anos têm acontecido avanços no esclarecimento das pessoas e que a atuação do movimento junto ao Congresso é positiva e gera resultados "O Congresso tem encaminhado projetos a favor da vida. A vida tem sido valorizada".

Senador Magno Malta, na noite de segunda-feira, na Grande São Pedro, em Vitória, Espírito Santo, durante o evento Caravana da Vida, fez um convite para a 10º Marcha Nacional em Defesa da Vida. “Esta é minha bandeira de luta. Enfrentaremos do Supremo Tribunal Federal e não aceitaremos a legalização do aborto e da maconha. A gente defende &eacut e; a vida, os bons costumes e os princípios morais”. Explicou Magno Malta, presidente da Frente Parlamentar Mista em Defesa da Família Brasileira no Senado Federal.

Assessoria de Imprensa