Imprimir

Nova frente parlamentar vai ampliar debate sobre maconha, diz Magno Malta

O senador Magno Malta (PR-ES) garantiu que vai criar a frente parlamentar mista contra a legalização das drogas.

A ideia, segundo ele, é aprofundar o debate que está ocorrendo nas audiências públicas para discutir os usos recreativo e medicinal da maconha.

Para o senador, a legalização das drogas não é a saída para combater a violência decorrente do tráfico. segundo ele, exemplo disso é a Holanda que, afirmou o parlamentar, "experimentou o aumento da violência depois que legalizou o uso da maconha".

Imprimir

Magno Malta homenageado em Corumbá pela luta em defesa da família brasileira

O autor da homenagem, vereador João Lucas Martins, da Câmara Municipal de Corumbá, Mato Grosso do Sul, destacou as bandeiras do senador Magno Malta (PR/ES) no enfrentamento constante a pedofilia, no firme posicionamento contra a legalização das drogas e demais ações em favor da família como instituição cristã. “É mais uma homenagem que recebo honrado e feliz pelo reconhecimento”, agradeceu Magno.

Em Mato Grosso do Sul, senador Magno Malta tem  grande base de apoiadores. Assim, a Câmara Municipal de Corumbá, por unanimidade, concedeu-lhe a Moção de Congratulação, como  gratidão pelas lutas em prol dos valores ético e morais.

Imprimir

Magno e Romário na liderança da Frente Parlamentar Contra Legalização das drogas

Senador Magno Malta (PR/ES) convidou o deputado federal e senador eleito do Rio de Janeiro, Romário (PSB) para atuar na nova frente Parlamentar contra a Legalização das Drogas no Brasil. “Na presidência da Frente Mista em Defesa da Família já conto com mais de 400 deputados federais e 70 senadores. Romário é atuante e vamos lutar contra a manobra do movimento pró maconha que está usando o termo medicinal para liberar o baseado para crianças e jovens”, denunciou Magno Malta, que já apresentou provas desta denúncia ao Ministério Público e a Polícia Federal.

Segundo Magno Malta, “no Brasil muitas drogas ilícitas já tem suas propriedades usadas em benefícios da vida por simples portaria do Ministério da Saúde ou recursos jurídicos que já são permitidos, como acontece com a morfina, originária da papoula, eficaz na anestesia, a própria cocaína, cujos derivados são usados também como anestésicos e outras drogas que tem principio ativo pesquisados para cura estão na lista das substâncias permitidas para uso clínico do Ministério da Saúde e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária. O THC da cannabis sativa, já comprovado eficaz em algumas doenças, Pode ser usado pela ciência sem aprovação do Congresso Nacional. Estamos debatendo é o ato de fumar maconha para a utopia em favor da saúde, que é totalmente incoerente. Repito, a morfina não é liberada  pelo Congresso para dopar jovens, para é permitida para amputar uma perna de um paciente se necessário. A cocaína também não é legalizada pelo Congresso Nacional para cheirar ou ser  aplicada indevidamente na corrente sanguínea, mas o uso medicinal de seus derivados já é procedimento  normal em laboratórios dentários. É muito dolorido extrair um dente sem a xilocaína”

Imprimir

Magno Malta anuncia criação da Frente Parlamentar contra legalização das drogas

Em pronunciamento no grande expediente, senador Magno Malta (PR/ES) alertou a sociedade para manobra sórdida com objetivo de  legalizar a maconha no Brasil. “Eu tenho 36 anos da minha vida enxugando lágrimas de mães de viciados e continuarei lutando contra este mal”, disse Magno Malta ao anunciar oficialmente a criação da Frente Parlamentar Mista Contra a Legalização das Drogas.