Imprimir

Democracia antirreligiosa?

Neste mês (agosto/2014), estarrecidos, observamos a divulgação de minuta de Resolução sobre um novo conjunto de regras do Conselho Nacional de Políticas sobre Drogas (CONAD), este, pois, alicerçado em evidente impeditivo à utilização da religião no trato do dependente químico. As referidas normativas, então legitimadas pelo Governo Federal e pelo presidente do CONAD, Vitore Maximiano, que busca impedir doutrinas religiosas na Recuperação de Dependentes de Substâncias Psicoativas.

O primeiro Senador a se levantar a respeito da tendência impositiva do Governo foi o Senador Magno Malta (ES) asseverando o quão prejudicial se mostra a limitação imposta, pela própria realidade constatada nas instituições cadastradas. Afinal, quase a totalidade das clínicas de tratamento está vinculada à religião. Os cadastros apontam que as organizações não governamentais (ONGs) envolvidas e comprometidas com a recuperação, costumeiramente, são estabelecimentos que funcionam como campanha solidária das religiões evangélicas, católicas, espírita dentre tantas outras vertentes que, costumeiramente, estão voltadas ao apoio social e à doação de si ao outro, como elementar à vida.

Imprimir

Proposição de Magno Malta em debate na Jornada Brasileira de Psiquiatria no ES

Senador Magno Malta (PR/ES) é autor do projeto que altera o Código de Trânsito Brasileiro para tornar obrigatório o exame toxicológico dos motoristas. Em sua opinião, “a Lei Seca, em vigor, está omissa na questão do uso de drogas, e o teste do bafômetro não é suficiente para identificar motoristas de risco, agora, a própria medicina debate a criação do maconhômetro”, salientou Malta.

Durante a X Jornada da Associação Brasileira de Psiquiatria, que será realizada nesta sexta-feira e sábado, no Hotel Senac, na Ilha do Boi, especialistas querem colocar em pratica o bafômetro da maconha. “Para o médico Fausto Amarantes, “ quem usa maconha e dirige leva risco a todos, pois a droga reduz raciocínio, reflexo e memória”, explicou apoiando a iniciativa do senador Magno Malta em defender a criação do teste na Lei Seca, cuja proposição já passou pela Comissão de Constituição e Justiça do Senado Federal.

Imprimir

Magno Malta e Polícia Federal fazem palestras sobre pedofilia, drogas e crimes pela internet

Senador Magno Malta (PR/ES) apresentou voto de louvor para  Polícia Federal que tem promovido palestras em escolas das redes pública e particular, igrejas, clubes, empresas e associações, para orientar pais e filhos em como se proteger de ataques de pedófilos e outros crimes utilizando a rede mundial de computadores."Tenhop também viajado o Brasil levando esta mesma mensagem e sei que os resultados já são positivos", afirmou Magno.

Segundo o senador Malta, “as  atividades são desenvolvidas ao longo de todo o ano pela Polícia Federal e os pais são orientados por especialistas como devem identificar possíveis sinais de ataques de pedófilos através do comportamento da criança, vigilância no acesso à internet e os filhos recebem informações de segurança ao utilizar páginas de relacionamento, bem como as estratégias utilizadas por pedófilos para atraí-los”, explicou o senador, maior defensor das crianças no País.

Imprimir

Magno Malta viaja o Brasil levando mensagem da política cristã e os reflexos na valorização da vida

Ícone no Congresso Nacional da pauta humanitária que trata da valorização da vida, senador Magno Malta (PR/ES) está em mais uma missão especial e importante para o cenário nacional atual. Ao lado do candidato do Partido Social Cristão à Presidência da República, pastor Everaldo, Magno Malta vai reunir as lideranças religiosas do Brasil, decepcionadas com as manobras ideológicas do Governo Federal, para somar na defesa de propostas que ameaçam à família como: legalização da maconha, a liberação do aborto, casamento homossexual com os mesmos direitos do casamento tradicional, fim da impunidade para conter a crescente onda da violência inclusive com a implantação da redução da maioridade penal no País. “Apostamos no PT e não formos ouvidos, agora, vamos priorizar nossos princípios para destacar uma liderança própria e mostrar pra o Brasil que temos vontade política para defender a vida”, explicou Magno Malta.

As pautas comportamentais revelam que o eleitor brasileiro conserva valores importantes, inclusive o Brasil é considerado um País de um povo de grande fé religiosa. “Eu já defendo estas bandeiras há mais de 40 anos, e tenho consciência, de que estamos vivendo um tempo de indignação com as diversas imoralidades, inclusive muita corrupção na vida pública, por isso, durante a Copa das Copas, nossa presidente Dilma Rousseff foi bastante elogiada”, ironizou Magno, lembrando o escândalo da Petrobras, as péssimas condições dos serviços essenciais como segurança, saúde, educação e a insistência em permanecer governando aliado com Cuba, Venezuela e Uruguai.